sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Dúvida merdosa

Porque é que a malta quando escreve sobre cagar e mijar tem a mania de usar palavrões como defecar e urinar?!
Como se alguma pessoa no seu perfeito juízo pudesse alguma vez dizer "vou ali num instante ao cantinho urinar"!
Senhores, encham o peito e chamem as coisas pelos nomes... ou mais que não seja que usem os diminutivos carinhosos "chichi" e "cócó", certamente melhores que as imundices supra citadas.
E pronto, era só isto.

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Dia de S. Valentim


Às vezes não têm a sensação que o desemprego está a atingir proporções dramáticas em Portugal?

domingo, fevereiro 12, 2006

Vrrruum, vrruum!!

I'm a Dodge Viper!

You're all about raw power. You're tough, you're loud, and you don't take crap from anyone. Leave finesse to the other cars, the ones eating your dust.

Take the Which Sports Car Are You? quiz.

"Furtado" daqui.

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Aviso à metrosexualidade



Troco bem o mal que me faz, pelo bem que me sabe...

terça-feira, fevereiro 07, 2006

A esquerda previsível

Eles até poderiam ter alguma simpatia para com a liberdade de expessão dos dinamarqueses nos cartoons...

Mas se a extrema-direita dinamarquesa está nesse campo, eles têm logo que se pôr no oposto. Mesmo que ao lado dos extremistas islâmicos.

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Liberdade de expressão: como usar



























(imagem publicada no "The Guardian")

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Legislação vintage

Muito obrigado LTN, nada como um excertozinho de legislação envelhecida em pipas de carvalho durante 50 anos para me alegrar a manhã. Em boa verdade vou-te pedir um ou dois diários da república da década de 50 para habitarem a minha mesinha de cabeceira. Quiçá assim os meus sonhos sejam mais piedosos e cristãos.
Aquele abraço.

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Leis à antiga... sublimes

Preâmbulo do Decreto-Lei n.º 39449 de 1953 do Ministério do Interior
"Os legados pios apresentam, inegavelmente, uma importância social grande, já pela frequência com que, pela virtude do espírito piedoso e cristão que caracteriza o povo português, se instituem, já pelas somas elevadas que muitas vezes atingem, já ainda pela natureza espiritual dos seus fins. "
O legislador deste tempo não era um mero acessor da PCM, era um lírico e um artista que encerrava em si a mística de toda uma doutrina