quarta-feira, maio 04, 2005

Notas sobre a Intérprete...



Dois actores galardoados, dirigidos por Sidney Pollack, num intenso thriller, com uma trama de conspiração internacional ao mais alto nível. O tema estava mais que batido, mas ainda assim podia ser uma revelação.

O resultado final é uma desilusão. Diálogos cheios de lugares comuns, um pseudo-romance da treta entre os protagonistas, alusões infantis aos ideais de paz no mundo, salvem as baleias, o poder do diálogo e a fé inabalável na ONU como panaceia do mundo.

Sean Penn interpreta um duro, capaz ao mesmo tempo de frases como “I´m not here to protect you!” e de chorar compulsivamente. Aliás Penn chora intensamente pela perda do irmão de Kidman que foi morto no cu de judas em África e que nunca conheceu, mas quando um dos seus agentes, um miúdo, é assassinado num atentado, em Brooklyn, enquanto investigava o caso, trata-se de uma situação normal e só lhe dá para berrar com Kidman exigindo-lhe a verdade.

Há que referir as tristes alusões ao mundo lusófono no filme. Achando que o resto do mundo é ignorante, chamam à antiga Praça de Touros Monumental de Lourenço Marques um “Soccer Stadium”. A pobre bandeira de Moçambique, onde as cenas africanas foram filmadas, serve como bandeira de Motobo, nome de um país imaginário que mais parece um jogador de basquetebol da NBA. De referir ainda que intervém um português na ONU como empregado de limpeza. Para além deste personagem ter tiques de larilas, não sabe falar inglês, como se viesse do Butão ou da Conchichina!!! Das duas uma ou o homem emigrou para lá nos anos 80 e já tinha tido mais do que tempo para aprender a língua ou então teve forçosamente que aprender inglês na escola em Portugal.
Mas é interessante como Nicole Kidman sabe falar Ku (a língua de Motobo)e fala praticamente todas as línguas europeias mas não consegue perceber nada de português. Aliás nem ela nem ninguém da ONU. Nem sei como é que perceberam os discursos do Lula e de Santana Lopes no ano passado. Sublinhe-se que Nicole Kidman é tradutora.
O mais triste é que o filme não tem argumento, não tem história, em suma, não tem interesse.