segunda-feira, maio 30, 2005

Histerismos

Só Ana Gomes para escrever este esterco.

Sofre do típico sindrome de quem anda lá por fora e acha que tem uma qualquer superioridade moral para vir dar lições aos "idiotas" deste cantinho à beira mar plantado.

No timbre do seu histerismo habitual, vem-nos informar que quem votou contra a Constituição Giscard foram apenas os extremistas, os vingativos e ressabiados, os xenófobos e os demagogos. É de lamentar. Há muito que a defendo que Ana Gomes precisa de menos palco e mais Prozac.

O bom senso para Ana Gomes seria votar sim. Não percebeu que pessoas com bastante mais arcaboiço político do que ela já tentaram esta conversa da treta, a começar por Chirac, tendo dado no resultado que se viu.

A senhora não percebe que se há coisa que o povo não é, é burro. Não foi burro na fundação de Portugal, não foi burro quando deu o sangue pelo mestre de Avis, não se enganou em 1640, não teve problemas em perceber em 2002 que gente como ela, Ferro Rodrigues e Paulo Pedroso não podiam governar, não se enganaram os militantes do PS quando no último Congresso lhe deram um monumental chuto no sítio onde as costas mudam de nome.

O povo francês sabe que não sabe. Ninguém sabe as consequência a longo prazo daquele tijolo que os eurocratas nos queriam vender. E se é para passar cheques em branco, nós portugueses bem podemos ceder aos franceses os direitos de autor do nosso Zé Povinho e emprestar o nosso tradicional manguito.

Tivesse Ana Gomes estudado história e saberia o que é a lição de Bismark. Tivesse Ana Gomes reflectdo melhor sobre o que estava em causa e sairia um pouco do ambiente de cházinho na Grand Place de Bruxelas e tertúlias com os colegas do Parlamento Europeu para recolocar os pés na terra.

Porque defendo a Europa e acredito na Europa... Constituição Europeia NUNCA!