quarta-feira, março 16, 2005

Como são frágeis, o positivismo e o relativismo...

Conduzir e falar ao telemóvel é punido por lei. Contudo não há nenhuma razão lógica para o ser. Pelo menos se formos coerentes com outras situações do mesmo calibre. Se é por ocupar as mãos e distrair a mente, o que dizer então de fumar ao volante? Será o cigarro não ocupa as mãos, altera a mente e com o rico sério de com um ponta de cinza provocar um incêndio dentro do carro? Que dizer então de comer um pêro ao volante? Que dizer de trazer um cão no banco de trás? Se formos rigorosos sintonizar um posto de rádio com a mão direita, ao mesmo tempo que por falta de comprimento da antena não conseguimos ouvir bem o Mel com Fel na TSF é um risco que objectivamente é semelhante. Porquê então a perseguição aos telemóveis?

É simples. Toda a gente vê, mesmo sem perceber porquê, como as pessoas conduzem de forma estúpida a falar ao telemóvel. Como é um autêntico perigo usar tal objecto enquanto se conduz numa rotunda. Simplesmente é público e notório que falar ao telemóvel enquanto se conduz está errado.

Há coisas no mundo que a lógica e razão não conseguem explicar. Só olhando para a vida e para o passado conseguimos manusear certas escolhas na sociedade. Fica aqui o meu prólogo para discorrer em breve sobre a eutanásia...